ELA É TÃO PEQUENA ! COMO SABER SE É AUTISMO ?

Hoje tenho como convidada para série :

Uma mulher Inspiradora que se fez existir!

Converso com a Mãe, mediadora, graduanda em Pedagoga Ana Castro @anahcastro_. Tem o objetivo de trazer histórias de mulheres que se fizeram existir. Como interpretar o que é homem e o que é mulher?

Uma resposta simbólica Lacaniana seria: “O homem é aquele que possui o objeto”. Seguindo essa afirmativa, para saber o que é a mulher, existe uma definição negativa: “A mulher é aquele ser que não é homem, ou seja, que não tem o objeto”. Afinal, podemos dizer: “Se a mulher não é o homem então o que ela é?” Conclui-se então que a idéia do que é “a mulher”, de sua essência, de seu desejo, realmente não existe. Por quê? Porque diferentemente do homem ela não tem um objeto que a represente esse objeto Freud chamou de “falo”. No mundo simbólico, a mulher não tem representação. Por isso, Lacan diz que “A Mulher (“A mulher enquanto representação do que é a mulher”) não existe”.

Se a mulher não tem uma representação de si mesma, isso significa que ela pode inventar sua essência! Quando ouvir ou ler que “A Mulher não existe” saiba que, por “não existir” ela precisa “se fazer existir”, cada uma a seu modo… Então, “A mulher não existe!” Mas, pode existir “Uma Mulher” que você vai criar, e podendo existir várias em uma só!

compartilhe em sua rede social

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on skype
Skype
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.