Reino e justiça

Versículo sobre provisão divina foi a passagem bíblica mais lida em 2021, segundo levantamento do app YouVersion

O ano de 2021 foi marcado pelo medo e pela ansiedade, com o planeta inteiro em meio à pandemia da covid-19, iniciada em 2020. O número de contaminados pelo vírus permanecia alto, e o risco iminente de contrair a doença era motivo de constante preocupação. Além disso, diante do grave problema sanitário global, a crise econômica se aprofundou, com mais desemprego, taxas de juros maiores e alta da inflação, no Brasil e no resto do mundo.

Idealizador do aplicativo YouVersion, o pastor norte-americano Bobby Gruenewald declarou que as pessoas estão se voltando para Deus e para a Bíblia a fim de obter respostas às suas perguntas – Foto: Divulgação

Diante de tamanha adversidade, muita gente se voltou para a Palavra de Deus na esperança de obter alento e socorro devido à angústia e às incertezas. De acordo com informações coletadas por meio do aplicativo de leitura bíblica YouVersion, que disponibiliza as Escrituras Sagradas em vários idiomas, o engajamento no app foi 24% maior em 2021 em comparação com 2020. Outro aspecto que chamou a atenção dos administradores do software foi o versículo bíblico mais lido, compartilhado e destacado pelos usuários do programa em 2021: Mateus 6.33 (Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas). O idealizador do aplicativo, o pastor norte-americano Bobby Gruenewald, declarou, em entrevista ao portal de comunicação Cision PR Newswire, que as pessoas estão se voltando para Deus e para a Bíblia a fim de obter respostas às suas perguntas. Gruenewald acrescentou que o versículo mais acessado pela comunidade do YouVersion expressa o que ela mais deseja: buscar a Deus e conhecê-Lo melhor.

O Pr. Anderson Ferreira alerta: “Jesus ensina aos discípulos que não devem se preocupar com as suas necessidades, mas depositar a confiança no Criador, priorizando-O” – Foto: Arquivo pessoal

“Necessidades básicas” – Na opinião do Pr. Anderson Ferreira, líder regional da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) em Pelotas (RS), a passagem bíblica mais lida em 2021 é um convite à reflexão. Por meio dela, o Mestre fala sobre prioridades. “Jesus ensina aos discípulos que não devem se preocupar com as suas necessidades, mas depositar a confiança no Criador, priorizando-O.” Desse modo, lembra Ferreira, mesmo diante das adversidades do momento pandêmico, o Senhor precisa ter a proeminência na vida do cristão. “As coisas terrenas devem estar em segundo plano”, destaca o líder, observando que esse é o caminho para experimentar cura, libertação e provisão do Pai. “Mas isso só será possível quando, verdadeiramente, colocarmos em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça.”

Pr. Sérgio de Sousa: “É uma contradição priorizarmos os bens materiais, e não o Reino divino e a Sua justiça. O Pai sabe quais são as nossas necessidades diárias e promete supri-las” – Foto: Arquivo pessoal

O Pr. Sérgio de Sousa, professor de Teologia na Faculdade Evangélica de São Paulo (FESP), considera essencial observar que o texto salienta claramente o Reino que deve ser priorizado: o do Céu. É importante, observa ele, para a correta interpretação do trecho, atentar para os versículos anteriores. “Muitas pessoas distorcem o texto ao dizer que o Senhor enviará prosperidade. Na verdade, Ele fala de suprir as necessidades básicas: comida, bebida e vestimenta”, informa Sousa, ressaltando que, no mesmo capítulo, é preciso levar em consideração outro detalhe: a Bíblia orienta a não ajuntar tesouros na Terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem (Mt 6.19). “Então, é uma contradição priorizarmos os bens materiais, e não o Reino divino e a Sua justiça. O Pai sabe quais são as nossas necessidades diárias e promete supri-las”, acrescenta.

O Pr. Everaldo Gonzaga Martins lembra: “É preciso buscar as coisas de Deus, pois o restante Ele acrescenta gradativamente. O Senhor é Aquele que fortalece, oferece segurança e paz em meio ao caos” – Foto: Arquivo pessoal

Elemento curativo – Já o Pr. Everaldo Gonzaga Martins, da Igreja da Graça no Centro de Lambari (MG), destaca que os versículos que antecedem Mateus 6.33 são palavras que acalmam o coração do homem, a fim de ele não ficar ansioso ou preocupado por motivo algum. “Nessa passagem, Cristo demonstra que Deus está no controle de tudo e cuida de cada um de nós. O foco é a salvação. Então, é preciso buscar as coisas de Deus, pois o restante Ele acrescenta gradativamente. O Senhor é Aquele que fortalece, oferece segurança e paz em meio ao caos”, enfatiza Martins.

A psicóloga Mônica Borges avalia que a fé tem sido um elemento curativo: “É alento e consolo para tantos lutos, ao mesmo tempo em que possibilita despertar para a importância da eternidade” – Foto: Arquivo pessoal

Ao fazer uma análise do mundo em meio à pandemia, a psicóloga Mônica Borges avalia que o coronavírus mostrou a todos que devem reconhecer as suas fragilidades e, sobretudo, pedir ajuda ao Senhor. “O momento trouxe à tona a necessidade de respostas para um período tão adverso. As pessoas tiveram muitas perdas, e a escassez se tornou algo real para muitos. Então, a passagem oferece o refrigério de que precisam.” Na percepção da especialista, a fé tem sido um elemento curativo desde o início da doença. “É alento e consolo para tantos lutos, ao mesmo tempo em que possibilita despertar para a importância da eternidade”, ressalva.

A psicóloga Alessandra Augusto observa: “O melhor a fazer foi buscar o Criador, que é onisciente. Ele está acima dos seres humanos, limitados e impotentes diante de um quadro de instabilidade” – Foto: Arquivo pessoal

A psicóloga Alessandra Augusto chama a atenção para a promessa do Senhor contida em Mateus 6.33. Para ela, no início da pandemia, nem cientistas nem governantes foram capazes de atender à demanda da população, que precisava de respostas diante de uma enfermidade desconhecida. “Então, o melhor a fazer foi buscar o Criador, que é onisciente. Ele está acima dos seres humanos, limitados e impotentes diante de um quadro de instabilidade.” Em sua opinião, as pessoas passaram a ler mais a Bíblia, por exemplo, para preencher uma lacuna espiritual, que não estava sendo sanada dentro da perspectiva natural. “Essa busca pela presença de Jesus é refletida no sentimento de empatia, solidariedade e união que se formou na sociedade”, acrescenta.

O obreiro Ericles José da Silva Ramos diz que já meditou bastante em Mateus 6.33: “O versículo gera confiança em Deus e mostra que minha vida pertence ao Senhor. O texto nos encoraja a viver na dependência dEle” – Foto: Arquivo pessoal

Direção divina – O obreiro Ericles José da Silva Ramos, 25 anos, já meditou bastante em Mateus 6.33, inclusive em 2021. “O versículo gera confiança em Deus e mostra que minha vida pertence ao Senhor. O texto nos encoraja a viver na dependência dEle”, analisa Ramos, que serve à obra do Altíssimo na sede regional da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) em Uberaba (MG). Ele enfatiza que buscar o Reino de Deus é viver a vontade do Pai e renunciar ao próprio querer. “Às vezes, erramos, porque olhamos para os atrativos mundanos. No entanto, o principal é a presença do Senhor. Aquele que vive pela fé, com os olhos no Reino e na justiça, não faz escolhas sem antes consultar Jesus, em oração, para saber qual é a Sua orientação, qual é a direção a ser tomada.” [Leia o quadro Andar com Deus]

O auxiliar administrativo Matheus Junior observa: “A passagem me lembra do quanto preciso ser dependente de Deus” – Foto: Arquivo pessoal

O auxiliar administrativo Matheus Junior, 21 anos, ressalta que essa parte do evangelho de Mateus está marcado em sua memória. “A passagem me lembra do quanto preciso ser dependente de Deus”, afirma o obreiro e líder de jovens da Igreja da Graça em Jardim Oriente, na cidade de Valparaíso de Goiás (GO). Leitor assíduo do Livro Santo, Matheus afirma que a pandemia o fez entender o quanto necessita conhecer a Bíblia e se aprofundar na comunhão com Deus, por meio da oração. “Estamos de passagem na Terra. Então, precisamos ser guiados pelo Pai. A vontade dEle deve ser prioridade, não as coisas passageiras”, afirma. O jovem assinala que, em vez de focar nas adversidades trazidas pela pandemia, o cristão deve manter os olhos fixos na eternidade. “Ela é o nosso alvo”, conclui.

compartilhe em sua rede social

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on skype
Skype
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.