Gabi Brandt e Saulo se separam: como saber quando terminar, ainda gostando?… – 

A influenciadora Gabi Brandt anunciou na madrugada desta terça-feira (4) que o casamento com o cantor Saulo Poncio chegou ao fim. Para formalizar a notícia aos seguidores, postou uma foto ao lado do ex e escreveu: “Estaremos sempre juntos, não mais como casal, mas como família […] Aprendi muito com ele, conheci o amor de verdade, em sua pureza e maior intensidade possível! Vou amá-lo pro resto da vida”.

Para grande parte do público, o relacionamento dos dois era considerado conturbado, uma vez que Saulo já foi flagrado em situações comprometedoras com outras mulheres. O casamento, no entanto, resistiu aos rumores de que Gabi estava sendo traída. Os dois são pais de Henri, de 11 meses, e de Davi, de 2 anos. Nos stories do Instagram, a influencer confessou ainda estar triste com a decisão. Consultada por Universa, a psicóloga Alessandra Augusto, do Rio de Janeiro, que atende casais, confirma que, para encerrar uma relação quando ainda existe sentimento pela outra parte, é necessário força de vontade e maturidade. Entenda: 

Alessandra afirma que o amor é essencial, mas uma vida conjunta é construída através de respeito, reciprocidade e interesses em comum.

“São muitas as variantes. Eu posso amar, mas perceber que o outro não está na mesma sintonia, não está tão feliz ou satisfeito. Muitas vezes, alguém decide ficar em uma relação motivado por obrigações, para não quebrar com um acordo que foi feito no passado ou por ter um sentimento de dívida, mas não porque está feliz”, diz.

Normalmente, a parceria consegue perceber isso através da convivência. “A pessoa dá sinais de que não está bem. Diante disso, um gesto de amor pode ser liberar o outro. Entender que ele vai ser mais feliz fora da relação, mesmo que não esteja ao seu lado. Amar também é soltar”, afirma a especialista.

Decisão exige boa dose de maturidade

Apesar de a teoria ser linda, a prática normalmente é delicada: a tendência é acreditarmos que aquilo que temos a oferecer é o melhor que a pessoa pela qual estamos apaixonadas irá encontrar. “O desapego é um estado emocional a ser alcançado”, afirma a psicóloga. 

Outro possível motivo para optar pelo término, mesmo ainda existindo sentimentos, é perceber que os interesses a longo prazos são conflitantes. “Quando uma das partes deseja casar e ter filhos e a outra não, por exemplo, o mais indicado é abrir mão do compromisso, para evitar conflitos ou uma frustração por não conseguir fazer a parceria mudar de ideia no futuro”, aponta.

Mas existe um caminho para atingir essa maturidade emocional com menos sofrimento? De acordo com Alessandra, sim. O “atalho” para encerrar a vida a dois com o mínimo de danos possível é ser racional e dialogar de maneira sincera com o outro. “Conversar com o parceiro, para entender suas expectativas e sentimentos, é a melhor saída para tomar decisões claras, das quais a pessoa não irá se arrepender no futuro”, indica.

FONTE:

uol.com.br /

compartilhe em sua rede social

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on skype
Skype
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.