O preconceito com tratamentos psicológicos

O julgamento da sociedade com tratamentos de pessoas que sofrem de doenças mentais e como isso afeta na melhora de sua saúde mental

Hoje em dia, devido ao maior investimento em estudos na área de psiquiatria e psicologia, as doenças mentais são um tópico muito mais comentado em nossas vidas e aos poucos estão deixando de ser um tabu principalmente nas gerações mais novas. Porém, mais antigas ainda possuem uma visão muito errada dos diagnósticos e de seus tratamentos. Alguns pensam que o acompanhamento no psicólogo e que o uso de remédios para doenças mentais é algo de louco o que é totalmente errôneo e preconceituoso.

O Ministério da Saúde reconhece que praticamente 20% dos brasileiros têm, teve ou terá algum distúrbio emocional, como ansiedade, depressão ou síndrome do pânico. Um estudo feito na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões com 5 pacientes teve duração de cerca de 6 meses mostra que a psicoterapia trouxe diversos benefícios aos pacientes mesmo em um curto período de tempo.

Os benefícios foram: a possibilidade de se conhecer e se compreender melhor, aprender de certas habilidades, mudança na forma de perceber a realidade e bem-estar. Estudos como esse podem facilmente ser encontrados com uma pequena pesquisa na internet e provam que a terapia não deve ser considerada algo apenas para casos extremos, mas também para ajudar em estresses diários ou em problemas da vida pessoal que se tornam mais complicados a cada vez que se tenta resolver.

Apesar de ter falado somente sobre casos que parecem simples até agora, também deve ser mencionado doenças como depressão que podem levar a finais extremos como suicídio, o que pode ser evitado com o devido tratamento psicológico e psiquiátrico, com o auxílio de remédios que são muito mal vistos ainda na sociedade atual.

É importante também lembrar dos transtornos como borderline, bipolaridade e esquizofrenia que por mais que sejam doenças que não possuem cura o tratamento traz melhoras relevantes e faz com que os sintomas sejam bem mais fáceis de lidar.

 

A sociedade precisa normalizar e parar de tratar o acompanhamento psicológico como um tabu, procurar ajuda não é um sinal de fraqueza e muito menos um sinal de loucura. Com a problematização desse tema diversas pessoas deixam de procurar o tratamento e acabam por sofrer com os sintomas pelo resto de sua vida e muitas vezes optam por liberar os sentimentos ruins em vícios como alcoolismo ou até mesmo o uso de drogas ilegais.

Inclusive a psicóloga Alessandra Augusto falou para uma matéria do jornal “Edição do Brasil” dizendo que o aumento de vícios pode estar associado a uma piora de quadros de depressão, ansiedade e insônia. A normalização do acompanhamento e tratamento psicológico visa fazer com que as pessoas tenham uma melhora na sua saúde mental e não precisem optar pela forma mais difícil de lidar com as doenças mentais, é de se esperar que algum dia todos possam se sentir confortável para procurar ajuda e que se preocupem com a saúde mental tanto quanto com a saúde física.

“Não é sinal de saúde estar bem-adaptado a uma sociedade doente.” – Jiddu Krishnamurti.

FONTE:

meon.com.br /

compartilhe em sua rede social

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on skype
Skype
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.